segunda-feira, 27 de setembro de 2010

adágio para uma nova manhã

o sol com seu fausto sorriso
no holocausto da tarde
recompõe a noite, sem alarde

(a noite é sempre o clichê
de um novo amanhecer)

2 comentários:

Lara Amaral disse...

=)

valéria tarelho disse...

lindo!
o título é um poema à parte.

Postar um comentário